top of page
  • Foto do escritorEquipe Blá

Dia mundial do rádio - Sintonizando o mundo

Uma das maiores descobertas no campo da tecnologia veio para revolucionar para sempre o modo de comunicação no mundo. Estamos falando da invenção do rádio.


Por isso, neste sábado (13), comemora-se o Dia Mundial da Rádio. Um dos meios mais relevantes para o mercado de propaganda no século XX.


Mas o rádio, da forma que conhecemos, ainda é uma forma de fazer propaganda muito relevante. As pessoas ouvem o rádio enquanto estão fazendo tarefas diárias que exigem atenção visual, como dirigir, afazeres domésticos, etc.


Sendo assim, vamos falar de todo o impacto que esse meio de comunicação impactou gerações durantes anos e como a sua influência mudou o panorama propagandístico no mundo.

Uma breve história do rádio


A história da rádio começou com Michael Faraday em 1831 que descobriu a indução magnética. Mas, o princípio da propagação das ondas radiofônicas, ou seja, a transmissão das ondas, veio mesmo em 1887, através de Henrich Rudolph Hertz.


Já a primeira companhia de rádio foi fundada em Londres, pelo cientista italiano Guglielmo Marconi, em 1896, com a emissão e recepção de sinais sem fio.


No ano seguinte, Oliver Lodge inventou o circuito elétrico sintonizado, que possibilitou a mudança de sintonia selecionando a frequência desejada que deu a possibilidade para a existência das emissoras de rádio.


Já no Brasil, a Rádio chegou no país 26 anos após o seu descobrimento, oficialmente, em 7 de setembro de 1922, nas comemorações do centenário da Independência do país, com a transmissão da fala do presidente Epitácio Pessoa na inauguração da radiotelefonia brasileira. Em apenas 2 anos o meio radiofônico se popularizou rápido, na qual todos os estados e municípios brasileiros possuíam estações de rádio.

Dados importantes sobre o rádio


Segundo pesquisa da Kantar IBOPE, o meio radiofônico alcança 83% dos brasileiros e o consumo de horas por dia é de 4h33m em média.


73% do público ainda escuta o rádio pelo aparelho comum, enquanto 20% usam o aparelho celular, 4% por meio de outros equipamentos como, ipod e 3% escutam pelo computador.


70% dos ouvintes declararam escutar rádio enquanto estão em casa e 41% fora do domicílio (carro, trabalho, em trajetos ou em outros locais)

A média entre os mais jovens é maior do que entre os mais velhos. O destaque está entre aqueles que têm entre 20 e 49 anos, faixa etária que corresponde a 86% do público. Esse dado contraria a ideia de que o rádio é um meio ultrapassado, voltado para pessoas de mais idade.

A importância do rádio na propaganda


A história da veiculação da propaganda nas rádios começou há 87 anos atrás. Esse marco para a publicidade ocorreu através do Decreto Lei nº 21.111, de 1º/março de 1932, assinado pelo presidente Getúlio Vargas que regulamentou e autorizou a veiculação de publicidade nas emissoras de rádio em todo território nacional.


Hoje, ainda, segundo a Kantar IBOPE, mais de 7300 anunciantes, distribuídos entre mais de 8900 marcas no Brasil, investiram em publicidade no rádio no primeiro semestre de 2019. Entre eles, exatamente 3686 anunciantes veiculam publicidade somente no rádio.


Já as marcas que usam a rádio como meio exclusivo de propaganda, chega a um número de exatamente 4753. E para novas marcas, esse número chega a 5207.


Esses dados apresentam um panorama de que o rádio ainda é um veículo de comunicação forte, pois é muito procurado pelos anunciantes por oferecer um baixo custo de produção e veiculação em relação às mídias mais procuradas como, TV e internet.


A rádio é uma forma de despertar sentimentos. Os jingles e frases marcantes fizeram história na publicidade. As marcas ganharam notoriedade com boas propagandas somadas à rapidez da transmissão e a facilidade de alcance do meio radiofônico.


E você, o que acha das propagandas no rádio?


26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page