top of page
  • Foto do escritorEquipe Blá

O impacto dos Streamings de vídeo no mundo do entretenimento.

Mesmo que a quantidade de espectadores de Televisão Aberta tenha crescido nos últimos tempos, devido aos decretos de ficar em casa, as plataformas de streamings de vídeo vêm conquistando espaço nos lares mundiais.


O que os dados dizem sobre a escalada dos streamings


Segundo a Harris Interactive, uma agência de pesquisa de mercado digital, no estudo CTV na América Latina: O Futuro Adiante, revela que 92% das pessoas no México tem acesso à streamings semanalmente, no Brasil são 91% e a Argentina vem logo atrás com 81%. Não só isso, a pesquisa ainda mostra que de todas as pessoas entrevistadas no continente sulamericano, 85% preferem streamings à TV aberta. Na qual, os países com mais tempo gasto nas plataformas de séries e filmes são México (65%), Brasil (63%) e Argentina (58%).


O avanço astronômico dos streamings no mercado de entretenimento não se dá somente à preferência das pessoas, mas também com uma tendência promissora de produção de conteúdo publicitário OTT (on-the-top), alcançando uma receita de 11 bilhões até 2021, segundo estudos da eMarketer. Tornando-se, assim, o meio com a maior receita global.


No entanto, os streamings de filmes ainda não superam alguns canais televisivos como a Rede Globo, por exemplo, que ainda possui as maiores audiências nacionais e mundiais. Mas a escalada é iminente, tanto que canais televisivos estão adaptando as suas programações para o universo digital, ou seja, criando uma conexão com o mundo digital, denominado como CTV.


Impacto da pandemia nos serviços de streaming


A preferência por entretenimento on demand, ou seja, veja quando, onde e na hora que quiser tem aumentado muito com a pandemia. Mas essa busca já vinha sendo intensificada pela procura por conforto, fácil acesso e novas experiências pelas novas gerações.


Canais mais tradicionais, como o out-of-home, o cinema e a mídia impressa foram muito afetados pela Covid-19, já que mais pessoas foram forçadas a ficar em casa. Sendo assim, muitos anunciantes estão transferindo seus investimentos publicitários para mídias digitais e in-home.


Ainda, de acordo com a Statista, o número de espectadores de televisão cresceu entre março e abril na América Latina, com percentuais de 57% no Peru, 40% na Colômbia e 19% no Brasil. E segundo a Ampere Analysis, já era projetado que até o final de 2020, a América Latina contaria com 62,2 milhões de assinantes de serviços de streaming de vídeo, representando um crescimento de 36% em relação ao ano anterior.


Outro ponto a se observar é o intercâmbio de produções feito especialmente pelo Netflix, Amazon e entre outros streamings, através das traduções e dublagens simultâneas, que abriu o leque para variedades de filmes produzidos em diversos países.


Agora, não é mais preciso esperar por lançamentos no cinema, ou o horário nobre na televisão para assistir um filme. Com a diversidade de produções, e produtoras, na qual cada uma está lançando a sua plataforma, o catálogo está sempre cheio para o público acessar e aproveitar a sessão com uma pipoquinha em casa.


Não só as plataformas de filmes, mas as de música e entretenimento em vídeo estão alcançando patamares antes desconhecidos. Mas isso é papo para outro blog, então fique atento nas nossas redes sociais para ver as próximas publicações!


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page